Porto de Sines

Porto de Sines

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Paquete Príncipe Perfeito [Jantar Volante] - 1972


O Principe Perfeito, com a sua chaminé original preta, era um dos mais belos e modernos paquetes da CNN [Companhia Nacional de Navegação].
Fazia carreiras de Lisboa até à costa oriental de África, escalando os portos do Funchal, S.Tomé [fundeava ao largo], Luanda, Lobito, Moçamedes, Cap Town, Lourenço Marques, Beira, Moçambique e vice-versa.


No gozo de licenças graciosas, viajei no Paquete Príncipe Perfeito, em 1965, 1966 e 1972.

Lembro-me dos seus salões, dos seus bares e salas de apoio, dos seus decks com cadeiras espreguiçadeiras, das suas piscinas ao ar livre, dos camarotes com suas vigias e beliches. Era um mundo sem fim onde podíamos dar asas à nossa curiosidade.

Sendo ainda de salientar as festas a bordo, a "Passagem Equador" [um autêntico Carnaval], as saídas nos portos onde atracava, para visita, passeio e compras pelas cidades.
Tenho excelentes recordações dessas viagens e uma ligação afectiva a esse paquete. Era um verdadeiro paraíso em forma de barco.

Na última viagem, de Lisboa para Lourenço Marques, a memória do tempo leva-me até 18/11/1972, dia em que Avô [médico de bordo], Filho/primogénito [auxiliar de médico de bordo] e Neto/primogénito viajavam, em pleno Oceano Atlântico, na Costa Ocidental de África, rumo ao Porto de Lourenço Marques, capital de Moçambique.

Foi servido um magnífico JANTAR VOLANTE a bordo.
Que tal se déssemos uma espreitadela na EMENTA daquele dia? Há sempre a curiosidade de se saber o que se comia e quais as especialidades e iguarias gastronómicas a bordo.


JANTAR VOLANTE




E M E N TA
___________________



Caldo de galinha clarificado

Bacalhau à Braz

Filetes de linguado Orly

Robalo à Florista

Lagosta à Bela Vista

Arroz de frango à Valenciana

Medalhinhas de vitela com cogumelos

Perú assado à Portuguesa

Galantina Imperial

Fiambre Moscovita

Mortadela Italiana

Frango assado trinchado

Bouchés de foie-gras

Cornucópias de presunto de Chaves

Croquetes Perigoult

Pãesinhos da Meia-Noite

Sanduíches variadas


________________



Bolo Rosas de França

Bavarois aux Fraises

Frosting de caramelo

Doce de coco à Brasileira

Bolo enrolado Negrita

Milfolhas à Moderna

Pastelaria Francesa

Sorvetes variados







No fim da viagem, desembarcamos em Lourenço Marques, onde nos aguardava o resto da família que tinha viajado antecipadamente num avião dos TAP [Transportes Aéreos Portugueses].


O Avô reembarcou proseguindo, a bordo do Príncipe Perfeito, o exercício da sua actividade profissional ao serviço da Companhia Nacional de Navegação.

Reformou-se aos... 74 anos.

No V Congresso Nacional de Medicina, de 16 a 20 de Outubro de 1983, na Gulbenkian, foi homenageado com o Diploma de Médico Jubilado.

Depois de de uma merecida reforma, partiu para a sua última viagem aos... 92 anos.

Perduram, na memória do Filho e do Neto, as recordações daquela maravilhosa viagem, dos representantes de três gerações.

30 comentários:

manuel marques disse...

óptimo texto.Também passei a linha do Equador a bordo de uma corveta Da Marinha de guerra Portuguesa,Tinha-mos como tradiçao levar o grumete mais marreta "o mais novo" para a proa munido de uma tesoura par cortar a linha.

Abraço.

acácia rubra disse...

Era um paraíso flutuante. Naquele tempo ( e pareço já velhota) aquelas viagens eram umas autênticas férias, onde o requinte, o atendimento personalizado e o isolamento flutuante deixavam marcas na memória de quem viajava. O Atlântico era observado em toda a sua plenitude, o céu tornava-se o ponto mais próximo nas noites calmas e os portos de chegada e/ ou partida lugares onde os olhos se reconfortavam na terra parada.

Também fiz travessias no Príncipe Perfeito, perfeito como o homem que tão bem soube talhar os mares no seu tempo...

Obrigada pelo recordar e por partilhar a ementa. Em casa da minha mãe andam algumas delas, que, segundo a moda, eram depois assinadas pelo comandante que tinha sempre palavras pessoais e cheias de amizade, que perduraram ao longo dos anos.

Ah, já agora vou servir-me de uma fatia do 'Bolo Rosas de França' que tem um aspecto delicioso!

Beijo

Joaquim do Carmo disse...

Gostei do texto, em especial porque, de tão real, me senti transportado para esse ambiente! De facto, de Outubro a Dezembro do ano de 1971, viajei no navio Timor - era menos "Perfeito", estou certo! - a caminho da terra com o mesmo nome e agora, ao ler este texto, lembrei-me de tanta coisa que aconteceu nesse 45 dias de viagem! Bem haja, amigo, por estes momentos!
Um abraço

Janita disse...

Querido Jorge.
Que delícia este seu post!
Não, não me refiro apenas às iguarias do Jantar Volante, que são de fazer crescer água na boca...
A maior delícia é a partilha desta sua vivência maravilhosa, em que três gerações da mesma família se juntaram a bordo desse Paquete de sonho.
Tão boas e inesquecíveis recordações lhe ficaram que, hoje, o fazem reviver, sem saudosismo, mas com uma grande ternura e alegria esses tempos passados. Dá para sentir isso Jorge, acredite...
Estou a ver que não posso vir espreitar os seus posts! Os dedos fogem-me logo para o teclado e isso não é justo para com os meus outros amigos de quem já me despedi e nunca mais comentei.
Quer-me parecer que vou arranjar um grande trinta e um..Óh..Óh se vou!
Beijos com carinho, meu amigo.

Se isso acontecer, espero poder contar com a sua protecção...

Luís Coelho disse...

Boa Noite Jorge
Boas recordações. Uma ementa cheia de cor e parece que ninguém ficaria com fome.Viajei no Uige para a Guiné Bissau.
Nesses dias nem podia ver a comida.
Viagens que eram mistério.
Um abraço por esse pedaço de história.

Aqui - Ali - Acolá disse...

Olá Jorge bom dia:

Este Príncipe Perfeito foi uma das melhores maravilhas que conheci até hoje em minha vida.

28 dias dentro dele navegando por mares que nunca imaginei, deu bem para nunca mais esquecer este maravilhoso barco.

Comida requintada e mesas de 4 pessoas onde eram servidas pelos empregados de mesa com seu traje de luxo e sempre bem dispostos.

De tarde havia o Bingo na sala principal que juntava lá quase toda a gente para jogar.

À noite, quase todos dias cinema na popa dele com filmes variados.

Em certos dias à tarde, no salão principal havia baile com orquestra da época.

No bar de 2.ª classe juntavam-se os amigos à mesa jogando ás cartas.

Por vezes, lá se ia de raspão até à primeira classe onde havia piscina e se tomava banho mas com autorização dos camaroteiros de serviço.

O elevador não descansava durante o dia entre os camarotes e a 1.ª e 2.ª classe.

Muito mais poderia contar nesta maravilhosa viagem mas, este resumo dá bem a descrever o que era este belo navio.

O Roteiro com saída de Alcantra e paragem na Madeira, depois Luanda, seguindo até Durban, Lourenço Marques, e Ilha de Moçambique que daí, segui num barco (Gasolino) até à ilha do Lumbo para depois seguir de Combóio até à linda Princesa do Norte a Cidade de Nampula que não mais esquecerei pelos bons momentos lá passados.

Foi uma viagem de sonho neste lindo barco que hoje recordo com saudade desse belo tempo.

O regresso foi no Pátria, navio mais pequeno mas também com um certo requinte, não tão luxuoso como o Príncipe Perfeito mas, nada faltava nele.

Tantos barcos famosos que nós tivemos e, agora se podem contar pelos dedos os que possuímos.

Belo post este que vc aqui deixou onde trouxe à memória este majestoso navio que era defacto o Príncipe dos Mares.

Parabéns por este post que para quem conheceu este barco, jamais poderá esquece-lo.

Abraço e felicidades.

Regina Rozenbaum disse...

Jorge, amado!
Essas lembranças, memórias, nos alimentam... História(s) de família...Há tesouro maior??? E quanto requinte nesse jantar! Fiquei com água na boca, só de imaginar rsrs. Sabe, amigo, mesmo sabendo que os navios de hoje são enoooooormes e moderníssimos, ainda não tive "coragem" de fazer um cruzeiro. Motivo: enjoo até em estradas com curvas rsrs, então... O amigo Vitor Chuva, já me garantiu rsrs que há remédios etc e tal...quem sabe um dia? Por enquanto só de avião messssmo!!!! E para piorar ou melhorar, há muitos anos, mas muitos mesmo, tenho uma imagem (dejavu) que sempre aparece como se fosse um sonho: eu, num deck desses transatlânticos, vendo o por-do-sol e ouvindo uma determinada música! Crês???
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Vitor Chuva disse...

Olá Jorge!

Estas memórias, para além de bonitas, têm um requintado sabor, com todas aquelas iguarias de fazer crescer água na boca ... e eu que estou a dieta!
O Prínipe Perfeito,não o conheci por dentro, mas conheci-o bem por fora; era certamente aquele com as mais bonitas linhas de toda a frota Portuguesa.
Durante quatro dias, em 1970, de Lisboa a Cabo Verde, fizemos-lhe escolta já que como passageiro levava o Américo Tomáz, de visita a Angola.
Para o conseguirmos acompanhar tínhamos que ir mesmo a todo o vapor, cerca de 27 nós, já que além das bonitas elegantes, ele era de facto um navio muito rápido para a época.
Esperámos em Cabo Verde, para o escoltar de volta, mas entretanto Salazar morreu; Américo Tomáz regressou de avião, e nós voltámos sozinhos ... e sem tanta pressa.
Hoje, não temos um único navio de passageiros a navegar com o nosso pavilhão; uma imensa tristreza!
Gostei de ler ... e o Jorge certamente muito mais de escrever.

Abraço amigo.
Vitor

Laura disse...

Eu viajei nele em primeira classe em 1962, fevereiro..a caminho de Luanda, era carnaval, lembro bem, amei aquele luxo todo, acho que era o nosso melhor e mais vistoso paquete visto por dentro e por fora..assisti aos bailes sentadinha claro, comemos na mesa do Comandante..pois...o pai tinha um cargo..enfim..ia brincar para a turistica com os meus amigos e foi lá que dei o inesquecivel primeiro pontapé (nos to..tes ehhh) de um nino da minha idade, já nem sei qual foi o problema, mas lembro do ralhete que me deram em seguida que ali (ali) não se batia nos meninos mas foi onde acertei,,,ora pois, tadinho dele e quando me lembro..ó valha-me...
beijinho da laura que esteve e ainda está doentinha..

Lídia Borges disse...

Interessante!
Sobre a ementa nem vou falar...
Casos da vida real? Ou... de sonho?

Obrigada pelo conselho deixado nas "Searas". Um paquete assim dava mesmo jeito!

Cumprimentos

Maria Ribeiro disse...

MEU AMIGO JORGE: fui para S.TOMÉ com 3anos, no PRÍNCIPE PERFEITO!
VOLTEI DE LÁ, com 7 anos, PARA ir para a escola, pois não havia na ROÇA, nessa altura... QUe saudades das ilhas!
BEIJO de
LUSIBERO(Mª ELISA)

NOTA: Jorge, sabes alguma coisa do KIMBANDA?

Regina Rozenbaum disse...

Jorge, amado!
Voltei, não de uma viagem dessas, para lhe fazer um convite: vamos participar do POR UM MUNDO MELHOR? Seu blog, suas informações, histórias, fazem A diferença! Penso que tem tudo haver... mas, é um simples convite. Passa lá no Divã...
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Maria disse...

Querido amigo, que doces recordações e recordar, como diz o velho ditado é Viver, e sabe tão bem recordar momentos bons, que marcaram as nossas vidas.

Tenha um feliz fim-de-semana

"Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho." (Mahatma Gandhi)

bjs do tamanho do infinito
Maria

Multiolhares disse...

Reviver momentos passados onde os laços familiares estão patentes é como abrir o nosso livro da vida e folhear momentos que fomos escrevendo com a caneta do coração,
bJ

sandra Freitas disse...

Uau..querido Jorge..que cardápio..deu água na boca..não apenas pelas delícias culinárias, mas pela delícia do momento, certamente as lembranças são tão doces como as sobremesas..
bjokas amigo..

Kimbanda disse...

Estimado amigo Jorge,
Esta história remete-me ao paquete Quanza numa viagem que fiz para Angola em 1964. Uma festa de arromba à passagem do equador, com encenações improvisadas pelos passageiros. Divertido e guardo as melhores recordações.
Dormi muitas vezes no deck em vez de me recolher ao quarto.
Como disse acima, esta história se assemelha muito à viagem que referi e aqui lendo viajei de novo.
Uma boa semana que está a entrar e receba p.f. o meu amigo e sincero kandando.

Osvaldo disse...

Caro amigo Jorge;

Que excelente e ao mesmo tempo, terno relato de uma viagem qu provávelmente todos gostariam de ter realizado.
O Pricipe Perfeito também foi ao Brasil (Rio de Janeiro) para a comemoração de uma data histórica que se a memória não me atraiçoa foi a 22 de Abril de 1969 e a comunidade portuguesa teve a honra de visitar este maravilhoso hotel flutuante.
Fui com meus pais e irmãs e ficamos fascinados com o luxo do Navio.

Um grande abraço, Jorge.
Osvaldo

Janita disse...

Querido amigo Jorge.
Se quiser não publique este comentário. Creio que o melhor é não o publicar mesmo, porque o que eu tenho para lhe dizer, é que não precisa ficar preocupado com aquela minha brincadeira acerca da sua "protecção". Tanto mais que já comentei os posts de alguns amigos e certamente, até ir de férias,ainda o voltarei a fazer.
Portanto meu querido, fica totalmente liberado dessa "responsabilidade".
Aqui lhe deixo um beijinho com muita amizade e o mesmo carinho de sempre.
Janita

Jorge disse...

Manuel Marques,
Se o grumete, não quisésse ou não pudésse "cortar" a linha do Equador, tinha sempre a alternativa de "saltar por cima" dela.
Abr

Acácia Rubra,
O seu detalhado comentário, valorizou a imagem do Príncipe Perfeito. Obrigado.
Parece já "velhota"? Então que hei-de eu dizer que sou velho mas ainda não me sinto velho?
Bonitas evocações do céu, do oceano e da terra parada, não falando do atendimento competente e personalizado.
Que tal, o "Bolo de Rosas de França"?
bj
J

Estimado Joaquim do Carmo,
Grato pela sua prtesença no Azimute.
O Mundo é pequeno. O médico de bordo do Timor, que em 1972 iniciou viagens no Prícipe Perfeito, em 1971 ainda era médico do Timor. Portanto, devem ter viajado juntos.
Abraço amigo
J

Graça Pereira disse...

Querido Amigo
Obrigada pela tua visita carinhosa e a força da Amizade! Bem hajas!
Sempre que aqui venho...borbulham as recordações daqueles "bons velhos tempos"... Não viajei no Principe Perfeito, aliás, nunca gozei uma licença graciosa... a única vez que vim a Portugal foi numas férias especiais e normais e...de avião!
Mas os meus Pais gozaram uma licença graciosa e viajaram no Pátria, connosco miúdos... eu e o meu irmão ( 4 e 3 anos)mas recordo-me que eles contavam as festas maravilhosas que haviam a bordo, o convívio excelente e a "boa mesa"... para já, fui à "tua" ementa e digo-te (eu que ainda não jantei...) fiquei a engolir em seco imaginando os pitéus e qual deles escolheria...
Bonito o teu texto... a lembrar vida, sentimentos, laços familiares e viagens fabulosas...
É tão bom recordar! Se é viver outra vez... não sei! Mas que sabe bem, isso, sem dúvida!!
Beijo amigo
Graça

Jorge disse...

Inestimável Janita,
Só tenho que agradecer a sua presença generosa e amiga no AZIMUTE e a pertinência dos seus comentários.
Espreite os meus posts [só me dá prazer] sempre que lhe aprouver, os amigos certamente não se ofenderâo. Outrossim terá a minha protecção [virtual?].
Bj amigo
J

Amigo Luis,
A sua conceituada presença e os seus comentários são sempre abonatórios para o Azimute.
O meu obrigado e um abraço amigo,
J

Jorge disse...

Aqui Ali Acolá,
Obrigado pela sua valiosa achega sobre a vivência a bordo Príncipe Perfeito até Nampula "A Linda", está "Perfeita".
Um abraço, amigo!
J

Rê Amiga,
A presença esfusiante da minha 1ª seguidora tem o DOM de transmitir um astral positivo ao Azimute.
O amigo Vitor Chuva tem razão, tome os remédios, embarque num belo cruzeiro e mergulhe no mar salgado...
Um xião,
J

Viva Vitor,
Gostei muito de ler o seu comentário e obrigado pelas suas memórias, sempre com o seu tom muito especial e amigo. É como navegar à bolina [está certo?].
Um abraço com toda a estima,
J

Laura Amiga,
Obrigado pelo contributo das suas memórias de.. menina bem comportada.
Nessa viagem tomava as refeições numa mesa redonda próxima da do comandante e dos oficiais. Tive a agradável surpresa de ser presenteado com um bolo de aniversário acompanhado dos... "parabéns a você!".
Espero que já esteja melhorzinha de saúde...
Bjis
J

Lídia Borges,
Obrigado pela sua presença.
Aquela viagem foi real e ainda perdura, com saudade, na minha memória.
Cordialmente,
J

Jorge disse...

Minha Amiga Maria Elisa,
As redes sociais são um modelo de democracia. A amizade e o sentimento de partilha prevalecem.
A sua presença e amizade honram e dignificam o Azimute.
Do Kimbanda, sei que é um bom amigo.
Bj com toda a estima,
J

Olá, Maria,
Infinitamente grato pela sua preferência.
Por vezes, é bom voltar ao passado e compreender os momentos bons da nossa vida de então...
São sempre sábios e oportunos os ensinamentos de Gandhi.
bj amigo,
J

Multiolhares,
Comentário e metáforas peculiares sobre o "livro da vida" e a "caneta do coração". É isso mesmo...
bj
J

Sandra, solidária amiga,
O cardápio era realmente especial, no entanto, as lembranças do convívio prevalecem.
Abraço amigo,
J

Janita disse...

Meu querido Jorge.
O Azimute foi uma dádiva que Deus fez chegar até mim, através da mão do acaso.
Senti isso da primeira vez que lá entrei! Mas, a certeza, certeza, tive-a pouco tempo depois, em virtude de um incidente que me levou a temer um desfecho que seria muito penoso para mim. O que aconteceu foi ter obtido a resposta mais generosa e nobre, que só alguém com um coração tão bondoso e limpo de ressentimentos me poderia dar.
Por tudo isso, hoje o Azimute é o meu porto seguro, o meu abrigo e a minha “casa”, com todo o sentimento de segurança e protecção que essa palavra possa implicar.
Gostava muito que soubesse disto e se eu não lho dissesse… como iria sabê-lo?
A distância que separa o mundo virtual da realidade pode ser a mesma que diferencia os afectos verdadeiros daqueles que se dizem e não se sentem, ou seja, tanto pode estar no outro lado do globo, como ao alcance da nossa mão.
Como tenho o Azimute no coração sei que ele vai estar sempre perto de mim.
A pergunta teve sete letras, mas a resposta é esta…

Jorge, há outro assunto que lhe quero falar sobre a minha participação na iniciativa da sua amiga Rê e que conta já com a sua colaboração, mas vai ter que ser mais logo. Agora vou ter que deitar mãos ao trabalho.
Deixo-lhe um abraço com muito carinho.
Janita

Jorge disse...

Estimado Amigo Kimbanda,
As boas recordações amenizam as agruras da vida, e esta foi uma viagem maravilhosa.
É bom a Serra da Leba e o Azimute "viajarem" juntos.
O meu Kanimambo e um redobrado Kandando,
Jorge

Olá Amigo Osvaldo,
Foi bom ler o seu agradável comentário.
Obrigado pela partilha das suas memórias. O Príncipe Perfeito era mesmo um belo Paquete, não desmerecia o seu patrono, o nosso D. João II.
Um forte abraço,
Jorge

Graça Pessoa Amiga,
Pretendo simplesmente não desmerecer a tua amizade, que muito prezo, e partilhar memórias de tempos felizes. Solidariamente contribuiste com as tuas. Kanimambo.
Ainda bem que "apreciaste" a Ementa. Não o teres feito seria um desperdício...
Um abraço amigo,
Jorge

Kimbanda disse...

Jorge estimado amigo:
Vim para dar aquele kandando e receber seu kanimanbo que me faz falta e sei onde vir recebê-lo.
Sempre grato e honrado por contar consigo.

Jorge disse...

Janita Amiga,
Qualquer generosidade da minha parte tem como objectivo compensar um pouco os muitos defeitos que tenho, nada mais que isso, minha amiga.
Pela porta do Azimute [sem fechadura] os meus amigos podem sempre entrar e sentir-se em sua casa - são indispensáveis.
Obrigado pelo seu abraço carinhoso e amigo que retribuo com todo o gosto.
J

Kimbanda, Indispensável Amigo,
Kanimambo pelo seu estimado kandando.
A sua presença no Azimute significa amizade renovada e fortalecida.
Um forte abraço.
J

Anónimo disse...

Viva, tenho estado a ver os vossos coment+arios so bre o príncipe perfeito. sera´que se lambram de um médico de bordo chamado António Luís Borges? Era o meu pai. Será que alguém se lambra de alguma coisa dele? LB

Jorge disse...

Amigo anónimo,
Gostava de lhe ser útil, mas não tenho a informação que pretende. De qualquer forma, ambos temos algo em comum; os nossos pais foram médicos de bordo do Príncipe Perfeito. Felicidades!
J

Helena Santos disse...

Boa noite

Algum dos presentes sabe omde poderei encontrar a lista de passageiros de 1972 da Luanda para Lisboa?