Porto de Sines

Porto de Sines

quinta-feira, 26 de março de 2015

" PRATS SÉNIOR " Estrutura Residencial


Dia de 20 de Fevereriro de 2015, a Santa Casa da Misericórdia de Sines inaugurou o " PRATS SÉNIOR ", uma estrura residencial para idosos, equipamento com capacidade para 82 residentes.

O  " PRATS SÉNIOR " vem substituir outras alas do Lar Prats, e que há muito não cumprem os requisitos legais existentes.
Trata-se de uma estrutura residencial pensada de raiz para acolher os idosos. 
O investimento total neste equipamento é de 3 milhões e meio de euros, comparticipado 85% por fundos comunitários, uma ajuda sem a qual a Misericórdia de Sines não conseguiria construir um equipamento desta natureza, a pensar no presente e no futuro da população de Sines.
Foram tidos em consideração pormenores como a insonorização do espaço, ambiente térmico, luminosidade ou o aproveitamento solar para fins energéticos.
Além dos quartos individuais ou duplos, o " PRATS SÉNIOR " terá uma ala específica para doentes Alzheimer, uma zona de apartamentos para casais ou outros residentes.
Terá também Serviço de Fisioterapia, Ginásio, Cabeleireiro, Serviços de Enfermagem, Psicologia e Animação, entre outos.
É de destacar também a localização do " PRATS SÉNIOR " que além de se situar perto de uma zona de comércio, 
oferece uma excelente vista sobre a Baía de Sines.

Proporcionando assim, solidariamente, aos séniores residentes, independência, bem estar com segurança. 


Fonte: Google [adaptação]

Fotos: cajoco


quinta-feira, 12 de março de 2015

" Capela dos Ossos "


Na Igreja de S. Francisco, em Évora, decorriam trabalhos de conservação e restauração.

"Sala do Capítulo"

Da destruição da parte conventual salvou-se a antiga sala do capítulo, que no século XIX foi transformada em Capela do Senhor dos Passos da Casa dos Ossos (imagem de grande devoção local, representando o sofrimento de Cristo no caminho do calvário). O camarim onde se expõe a imagem é a maquete da capela-mor da Sé de Évora tendo sido construída por ordem de J. F. Ludwig, mais conhecido por Ludovice, o arquitecto que a projectou no século XVIII.

" Capela dos Ossos "
NOS OSSOS QVE AQVI ESTAMOS PELOS VOSSOS ESPERAMOS
As suas paredes e os oito pilares estão "decorados" com ossos e caveiras ligados por cimento pardo. As abóbadas são de tijolo rebocado a branco, pintadas com motivos alegóricos à morte.



 Fonte: Google

Fotos: cajoco

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Elvas

É bom também conhecer, a pé, alguns recantos de Elvas.

D. Sancho II (1223-1248), outorgou o Foral de Elvas (Maio de 1229) e determinou a reconstrução e reforço das defesas.
Igreja de Nossa Senhora da Nazaré, emoldurada de amarelo com a sua nave de planta circular e óculo oval sobre o portal.
Três cruzes que simbolizam as crucificações de Jesus Cristo, Dimas [o bom ladrão] e Gestas [o mau ladrão].
Fonte  Luminosa, inaugurada em 16 de Setembro de 1999.

Parte da fachada principal do Tribunal da Comarca de Elvas.
Já com o autocarro em andamento, a caminho de Évora, avistamos Estremoz com as suas muralhas e torres ameadas, sobressaindo lá no alto a sua Torre de Menagem.


Fonte: Google
Fotos: cajoco

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

" Forte de SANTA LUZIA " [2 / 2]





No centro, num ponto estratégico do Forte de Santa Luzia, ergue-se a Casa do Governador.

 No seu interior deparamos com a maqueta do Forte da Senhora da Graça apresentando planta quadrangular com baluartes pentagonais nos vértices, no estilo Vauban. As obras externas de defesa conferem-lhe o formato poligonal estrelado.

Outrora o vigia subia ao terraço por escadas escavadas alternadamente na parede da ante-sala da casa do governador, e,  uma vez ali, ficava de atalaia nessa localização estratégica.
[o contraluz complicou a foto, tirada na hora].
 
Duas grandes cisternas - dispositivos reforçados que podiam alimentar e matar a sede, durante cerca de dois ou três meses, a uma guarnição composta de 300 ou 400 homens.

Visitamos ainda uma  " Exposição Temporária " de Arte Sacra.
Uma réplica, tipo puzzle azulejado, da Igreja de Nossa Senhora da Assunção, antiga Sé de Elvas,  situada na Praça da República.
São Francisco de Paula
São Vicente 
Um pormenor do teto da Capela de Santa Luzia.
 
Vista parcial de Elvas e suas fortificações, fazendo assim jus a ser uma das mais fortificadas da Europa de então.

O " Aqueduto da Amoreira " sublinha a paisagem.


O comboio turístico, com uma vista de Elvas e suas fortificações, e, lá no alto [à direita] o Forte de Senhora da Graça, está prestes a regressar à base.


Fontes: Google e Guia

Fotos: cajoco

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

" Forte de Santa Luzia " [1 / 2]


O Forte de Santa Luzia situa-se a sul da Cidade de Elvas sobre um pequeno outeiro, constituindo hoje em dia um importante exemplar da arquitectura militar Portuguesa do século XVII.

Passear à volta das suas mutalhas é um prazer.
Transpomos este luminoso portal aberto à nossa curiosidade.
Viramos à esquerda, subimos novamente a calçada até a um segundo portal de accesso.
À entrada deste vistoso portal,  encimado pelas armas da coroa, o guia clama e acena solicitando, aos retardatários do grupo, a sua presença.


Soldado lanceiro do sec. XVI com a sua longa lança, bem equipado. A sua importância diminuiu pela introdução das armas de fogo.

Entretanto, aguardamos o regresso do guia e do grupo de retardatários a fim de iniciarmos a visita guiada.

Soldado do Regimento de Artilharia uniformizado segundo os uniformes de 1806.
Por esta e outras ameias, no alto muralha da fortificação, visava-se [e vigiava-se] o inimigo.

Porta de acesso à galeria.
Atualmente vai até ao antigo paiol de munições
Outrora fazia parte de um labirinto subterrâneo existente por debaixo das muralhas, conduzia á cidade para que as tropas se rendessem em caso de sítio quando estavam cercados.  


Já no paiol  de munições o guia esclarece como a pólvora e outros explosivos eram aqui guardados.

Muitas vezes, as munições chegavam até ao teto ovalizado.
Camihamos novamente de regresso

Avistamos já a porta de saída da galeria.

Finalmente ao ar livre e novamente a luz do... dia.


Fontes: Google e Guia

Fotos: cajoco

sábado, 24 de janeiro de 2015

" Castelo de Elvas "

Elvas constituiu, desde a Idade Média até ao século XVIII, um ponto estratégico da defesa da zona raiana do Alto Alentejo. O perigo espreitava próximo e tinha um nome: Espanha.
O comboio tshu-tshu chegou ao Castelo de Elvas. Antes de franquearmos o portal de entrada admiramos as suas duas torres quadrangulares, a mais alta corresponde à sua torre de menagem, bem como a beleza das suas muralhas ameadas.  

Após um trecho de muralhas ameadas surge uma invulgar construção circular,  coberta por cúpula semiesférica e envolta por uma passagem estreita protegida por parapeito com largas ameias.
Já no interior do castelo admiramos novamente a beleza da sua gigantesca da torre de menagem.
Esta edificação funciona actualmente como Posto de Turismo.

Altos dignitários terão outrora partilhado estes assentos  "com pompa e circunstância".
Ao longe avistamos o Forte de Nossa Senhora da Graça, oficialmente denominado como Forte do Conde de Lippe. Em posição dominante sobre o chamado Monte da Graça.


Aguçada a curiosidade, tentamos a aproximação da imagem para ver mais em detalhe este forte que integrava a defesa da Praça-forte de Elvas e a complementava.
Utilizado no passado como prisão militar, o conjunto encontra-se em condições próximas da ruína.
Um pormenor das ameias piramidais, da guarita de vigilância, visando também homenagear a beleza da paisagística rural da região .


Fonte: Google [adaptação]

Fotos: cajoco