Porto de Sines

Porto de Sines

segunda-feira, 8 de março de 2010

O SINO E O VJARA




















Os dois símbolos mais comuns associados ao budismo tântrico são o sino e o "relâmpago de diamante" (vjara), utensílios usados em quase todos os rituais tântricos para representar a união da sabedoria com os meios eficazes. A vjara representa o caminho espiritual, que culmina na realização da sabedoria, enquanto o sino é o símbolo da verdade do vazio - o tocar do sino é a proclamação da verdade em todos os reinos.
O sino representa a sabedoria "feminina" de Buda e a vjara a sua compaixão e meios eficazes "masculinos", e juntos simbolizam a unidade indissolúvel dos polos masculinos e femininos da experiência. Também representam a unidade do samsara com o nirvana: o praticante que viaja através do samsara em direcção ao nirvana acaba por se aperceber que o caminho e o objectivo são inseparáveis.

in O Caminho Tibetano

8 comentários:

Kimbanda disse...

Jorge caríssimo amigo,
Eu e o meu Guma precisamos "desses dois" mais do que nunca neste momento especial que atravesso. Foi um pouco, como dizer, abençoada a minha visita aqui. Com estas palavras que aqui li e reli, saio um pouco mais confortado e com razões para acreditar que esse equilíbrio é possível e o desejo imensamente.
Vou tirar uns dias de folga e quando regressar voltarei à sua agradável companhaia que não dispenso.
Kandandos e caté... meu amigo!

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia.
Lindo, lindo.
Magnífico texto.
Beijo grande, meu querido amigo.

Jorge disse...

Kimbanda Amigo,
"Estes dois", estão em minha casa num "altar" muito especial e são premonitórios de que tudo vai correr bem para si e para o Guma.
Um forte e amigo abraço.

Jorge disse...

Bom dia Silvana,
É esse o "jeito de aparecer", ainda bem.
É assim, do "samsara"(existência cíclica na qual todos os seres estão sujeitos a constantes renascimentos e sofrimentos) até atingirem o "nirvana"(a quietude e a absorção da personalidade no seio da divindade).
Um bj amigo

Vitor Chuva disse...

Olá Jorge!

Eu vou iniciar este comentário com uma confissão - a de não ser um conhecedor desta religião vinda de países distantes - ainda que durante alguns séculos por lá tivessemos permanecido.E o que desconhecemos sempre tem para nós um toque de exótico, como no meu caso.
Mas, o texto está muito bem escrito, e de forma a despertar o interesse de iniciados como eu. Irei certamente aprender mais, pasando por cá.

Um abraço.
Vitor

Graça Pereira disse...

Gosto de saber destes simbolismos que acho interessantes, até porque tenho uma simpatia pelo tibetanos.
Um beijo
Graça

Regina Rozenbaum disse...

Jorge, amado!
Num sabia que gostavas do Budismo... Caminho e objetivo inseparáveis!!! Adoreiii esse post.
Tô com saudades de você lá no meu cantinho...brigou comigo?rsrs
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Jorge disse...

Vivam meus amigos solidários!
A vossa presença só motiva e credibiliza este farol de partilha.

Vitor,
Eu também sou iniciado. Procuro simplesmente compreender e transmitir ensinamentos válidos do budismo e de outras religiôes sem prejuízo de cada um manter o seu comprimisso com a sua fé. Voltarei ao tema sempre que possível.

Graça,
Também simpatizo com os tibetanos e a sua causa procurando inteirar-me dos seus ensinamentos e dos seus simbolismos.

Rê Amiga,
Sempre amigo, só que por vezes no nosso caminho tropeçamos na realidade da vida e custa um pouco a reabilitarmo-nos.
Vou retomar as minhas visitas.

Um abraço de gratidão para os meus amigos.