Porto de Sines

Porto de Sines

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

"3 FortalezaS"

Sinto-me contrafortado  ao retratar 3 fortes planeados e construidos para a defesa do Litoral Alentejano, contra os ataques dos corsários e piratas que faziam perigar a segurança dos portugueses de então.


O Forte de Nossa Senhora das Salvas [ou de Salas], popularmente denominado como Forte do Revelim,  localiza-se na cidade Sines.
Situado no Cabo de Sines, no extremo oeste da baía, tinha como função a vigia da costa, cooperando com o Castelo de Sines na defesa da vila contra os ataques dos corsários e dos piratas então frequentes naquele litoral. Ao avistar alguma embarcação suspeita, a sua artilharia dava salvas, convocando os moradores válidos à defesa e a população em geral para se refugiar.
Foi construído no século XVII, com projeto do arquiteto Alexandre Massai, altura em que foram construídas outras fortalezas com a mesma função ao longo da costa portuguesa.
Esteve guarnecido até 1844.


Forte da Costa frente à Ilha do Pessegueiro tem uma história breve e atribulada. A sua posição era dominante sobre a praia.


A obra esteve interrompida entre 1598 e 1602, "por, entretanto, ter sido decidida a construção do Forte de S. Clemente, em Vila Nova d e Milfontes.
Reiniciada a obra em 1603, foi ainda nesse mesmo ano abandonada .



 Forte da Costa e Ilha do Pessegueiro

A Ilha do Pessegueiro granjeou fama como refúgio de piratas.
O projecto portuário da Ilha do Pessegueiro constava, no essencial, em fazer a ligação da extremidade norte da Ilha a terra, através do Penedo do Cavalo. O objectivo deste projecto era transformar as condições naturais num grande porto, ao mesmo tempo militar e comercial, que servisse a costa sudoeste, já que entre Setúbal e Lagos era considera da na altura a melhor saída para o mar.


Blocos planeados para ligação do Forte à Ilha do Pessegueiro [projecto interrompido]
Reiniciada a obra em 1603, foi ainda nesse mesmo ano abandonada . Não voltou a ser retomada.


Forte de S. Clemente

O Forte de S. Clemente, foi construido entre 1599 e 1603, no tempo do Rei D. Filipe II, a fim de defender Vila Nova de Milfontes dos perigos vindos do mar: a pirataria e o corso.



A sua utilização foi inicialmente   militar e a actual é como turismo de habitação.



 Fonte: Texto / Google
Fotos: cajoco

12 comentários:

Graça Pereira disse...

Gosto de saber estas histórias de tantos monumentos espalhados por Portugal e com aquele ar triste de abandono mas que, contudo, falam de páginas da nossa portugalidade.
Bem hajas e um beijo
Graça

Luís Coelho disse...

Boa noite Jorge
Obrigado pelas fotos e por nos dares estes apontamentos de história.
Ao longo de toda a costa portuguesa e ainda nas antigas colonias foram mandados construir estes fortes para defesa da nossa costa.
Muitos estão votados ao abandono.

rosa-branca disse...

Olá amigo Jorge, tantas coisas belas neste nosso Portugal que desconhecemos. Adorei tão lindas fotos. Beijos com carinho

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Jorge!

Tirando os monumentos de cariz religioso, estes são certamente do melhor que podemos ver em termos de arquitectura portuguesa - e até mesmo de bom gosto.
Pena que todos eles, no litoral e interior, não nos possam defender das arremetidas dos corsários de hoje...

Lindas fotos, a condizer com o resumo histórico - que gostei muito de ler.

Abraço amigo; bom resto de semana.
Vitor

Tunin disse...

Portugal de meus ancestrais, como te amo!Lindo e maravilhoso é conhecer as tuas belezas através das competentes lentes do teu filho Jorge.
Abração, Jorge!

Lídia Borges disse...


Estes fortes, ainda que de grande interesse histórico já não nos defendem da pirataria da atualidade.

Obrigada pelo belo "post"

Lídia

Andradarte disse...

Gostei desta aula ilustrada, da história de Portugal......Só me lembro da Ilha do Pessegueiro.
Abrao

José Ramón disse...

Bella imagens é um prazer passar pelo seu blogue semana feliz
Saudações de texto e Abstração Reflexão

lis disse...

Muito interessante a história que fica impregnada nesses Fortes.
Vale a pena ler a respeito e pensar que hoje os 'piratas' são de outro tipo e rondam por aí sem que haja quem lhes impeça de 'saquear',não é?
lamentavelmente ...
boa semana Jorge
e fica meu abraço


Jorge disse...

Amigos/as,
Estes históricos monumentos, baluartes da nossa defesa contra as investidas da pirataria e dos corsos de então, observam agora impotentes outro tipo de pirataria mais sofisticada que procura insanamente saquear as economias dos "PIGS"[acrónimo en inglês utilizado para designar: Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha(Spain)]. Uma boa semana para todos/as.

oteador disse...

sin duda miradores privilegiados hoy en dia, lejanos a su original funcion. saludos

graciete filipe disse...

Meu querido mais um que me escapou que lindas fotos as obras de arte que fazem ainda recordar os nossos antepassados beijinhos de luz e paz.