Porto de Sines

Porto de Sines

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Made in Portugal

NÃO ESQUECER


560


Vale a pena pensar nisto... e agir em conformidade.

Sejam amigos de vós próprios


O ZÉ, depois de dormir numa almofada de algodão (Made in Egypt), começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (Made in Japan) às 7 da manhã.

Depois de um banho com sabonete (Made in France ) e enquanto o café (importado da Colômbia) estava a fazer na máquina (Made in Chech Republic ), barbeou-se com a máquina eléctrica (Made in China ).

Vestiu uma camisa (Made in Sri Lanka), jeans de marca (Made in Singapore) e um relógio de bolso (Made in Switzerland).

Depois de preparar as torradas de trigo (produced in USA ) na sua torradeira
(Made in Germany ) e enquanto tomava o café numa chávena (Made in Spain ), pegou na máquina de calcular (Made in Korea ) para ver quanto é que poderia gastar nesse dia e consultou a Internet no seu computador (Made in Thailand ) para ver as previsões meteorológicas.

Depois de ouvir as notícias pela rádio (Made in India ), ainda bebeu um sumo de laranja (produced in Israel ), entrou no carro Saab (Made in Sweden ) e continuou à procura de emprego.

Ao fim de mais um dia frustrante, com muitos contactos feitos através do seu telemóvel (Made in Finland ) e, após comer uma pizza (Made in Italy ), o Zé decidiu relaxar por uns instantes.

Calçou as suas sandálias (Made in Brazil), sentou-se num sofá (Made in Denmark), serviu-se de um copo de vinho (produced in Chile), ligou a TV (Made in Indonesia) e pôs-se a pensar porque é que não conseguia encontrar um emprego em PORTUGAL...

Estima-se que se cada português consumir 150€ de produtos nacionais, por ano, a economia cresce acima de todas as estimativas e, ainda por cima, cria postos de trabalho.


Pode ser que isto acorde alguém.

Dê preferência aos produtos de fabrico Português. Se não sabe quais são, verifique no código de barras.


Todos os produtos produzidos em Portugal começam por 560 ........

Fontes: Google imagens e e-mail

12 comentários:

sandra Freitas disse...

Conciência no consumo, essencial para o bem coletivo. Excelente postagem.

Querido Jorge,

Estou com um blog novo (Sobre música) e um proposta para meus amigos: Me mandarem uma música ou um trecho de uma que tenha marcado sua vida, ou que vc simplesmente goste, nas próximas semanas estarei postando. É uma maneira de conhecermos e compartilharmos gostos musicais diferentes. Você é essencial..
Bjokas...aguardo..
http://retalhosemsol.blogspot.com/

acácia rubra disse...

Até seria engraçado se não fosse tão verdadeira e triste a realidade com que a nossa economia se debate.

Beijo

Regina Rozenbaum disse...

Jorge, amigo, amado!
Que fantástico essa sua postagem. Aplausos daqui... Agora uma perguntinha básica e já pedindo desculpas por minha ignorância econômica: com essa tal de globalização, exportações/importações,é ainda possível consumirmos somente nossos produtos? "Quase" tudo que compramos por aqui é made algum desses lugares que citou e principalmente onde há exploração/escrava da mão-de-obra (China, Coreia, Tailandia etc). Fábricas e mais fábricas enviam seus produtos daqui, para serem executados num lugar desses aí... Depois retornam com preços que até D'US duvida... e a explicação fornecida é que a mão-de-obra,impostos etc e tal é muito mais barato!!! Eu, realmente, não entendo.
Beijuuss n.c.

Vitor Chuva disse...

Olá, Jorge!

Estranhamente, ou talvez não...nunca em Portugal foi feita a "pedagogia" de tentar alertar os consumidores para as consequências de preterirmos o que é nosso em favor de produtos de outros países.Mas não só isso: consumir o que é nosso deveria ter sido encorajado; deveria ter sido promovido aquilo que de bom cá existe - o que só ultimamente tem sido feito.Quem nos des-governa parece não ter cabeça - é lamentável! Hoje as consequências começam a fazer-se sentir, e recuperar o que se perdeu será tarefa difícil.
Mas como mais vale tarde que nuca...
Muito oportuno trazer aqui este tema.

Um abraço amigo.
Vitor

manuel marques disse...

Infelizmente o fraco recurso das pessoas nem sempre é favorável para que isso aconteça.

Abraço.

Laura disse...

Olha, porque iríamos comprar com o nosso salário, o que os nossos ricos empresários nos inpimgem? que culpa temos nós que nos outros Países recebam subsídios para as colheitas e animais e aqui nem em tempo de castástrofe os dão?

Bolas, todos deviamos ter com que comprar o que quiséssemos e onde quiséssemos, bastando para isso ter euros ao desbarato.

e a gente nem euros baratos tem...se tem...

Um beijinho da laura

Hana disse...

Olá anjo amigo, sabe que sinto um amor incondicional por Portugal e Japão, devo ter vivido outras vidas nestes lugares, e acredita que nunca fui á Portugal, mas conheço como a palma da minha mão seus encantos, lendas e histórias, tudo me fascina por aí sabe anjo. E tenho muitos amigos do blog a maioria são portugueses, e são muito companheiros assim como vc, então cada vez mais me aproximo de Portugal. Por isso lá no Harmonia no meu cantinho resolvi unir Brasil, Japão e Portugal, continuara sendo blog da harmonia da paz e do amor, justamente por isso a união que quero fazer, sem fronteiras lá no harmonia, já penso no próximo assunto cultural que vou expor em meu post. Como pode né um lugar onde nunca estivemos amamos tanto, tenho lembranças de lá que não vivi, rss, é que leio muito sobre Arte e História sobre Portugal. Então vc é de Douros que maravilha, um dia me leva lá nesta região tá, rss. Aqui no Japão sou professora de arte, filosofia e sociologia, mas estou aprendendo mais do que ensinando, rss, pois sou um ser em contrução, uma eterna aprendiz, é isso anjo meu, agora vou ler seu post.
com carinho
Hana

Hana disse...

COMEÇEM A COMPRAR OS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO NACIONAL, FOMENTANDO O EMPREGO EM SEU PAÍS, é o que ensino aos alunos, Dificilmente você adquire atualmente nas grandes redes comerciais dos Estados Unidos um produto "made in USA".É tudo "made in China", com rótulo estadunidense.Apenas lhes interessa o lucro imediato e a qualquer preço.Mesmo ao custo do fechamento das suas fábricas e do brutal desemprego. Enquanto as grandes potências mercadológicas que ficam com as marcas, com os designes,suas grifes, os chineses estão ficando com a produção, assistindo estimulando e contribuindo para o desmantelamento dos já poucos parques industriais ocidentais. Então, num futuro próximo veremos os produtos chineses aumentando os seus preços, produzindo um "choque da manufatura", como aconteceu com o choque petrolífero nos anos setenta. Aí já será tarde de mais. Perceberá que alimentou um enorme dragão e acabou refém do mesmo.Dragão este que aumentará gradativamente seus preços, já que ele será quem ditará as novas leis de mercado, pois será quem manda terá o monopólio da produção. Ma anjo adianta falar isso para adultos? então prefiro ensinar o pequenos plantando uma sementinha desde cedo, concientizando. Ma é isso anjo amigo, aqui falo da China mas vale para qulquer país, temos que fomentar empregos em nosso país, comprando nosso produto, seu post foi o máximo. Me sinto na música do Roberto Carlos como pensamos iguais, aíi canto a canção, seguirmos juntos a mesma estrada, rsss, fui ja fiz uma super bagunça aqui.
com carinho
Hana

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

É verdade amigo se todos fizesse-mos um pequeno esforço talvez que as coisas não piorassem tanto, mas às vezes é por distracção, outras pelos preços que são bem mais avultados.
A maioria do Português quando vende os produtos tem a mania que vai logo enriquecer, e dai não se contentar com pouco mas quer logo o dobro e muito mais.
Infelizmente há mentalidades muito retrogradas.
Beijinhos de luz e paz

Lua Nova disse...

É a famigerada Globalização...
Mas vc tem razão... há que se ter consciência ao consumir.
Saudades de vc.
Beijokas e um fds delicioso pra vc.

Manuela Freitas disse...

Olá Jorge,
Vim agradecer a sua visita ao meu blogue.
Relativamente ao seu post já o conhecia, é a realidade que temos, os produtos portugueses sofrem uma concorrência muito grande e as pessoas vão pelo mais barato! Eu tento inverter esta realidade quando é possível!
Um grande abraço,
Manuela

Jorge disse...

Companheiras/os desta caminhada da vida!
Grato pela vossa disponibilidade e pelas vossas opiniões que considero positivas.
Este tema é mais um alerta para não preterirmos PRODUTOS NAQCIONAIS em favor dos de outros países.
TODOS NÓS PODEMOS FAZER A NOSSA QUOTA PARTE À NOSSA MEDIDA.
Um abraço e um BFS PARA TODAS/OS.
Jorge