Porto de Sines

Porto de Sines

segunda-feira, 26 de abril de 2010

QUASE


Ainda pior que a convicção do não,
e a incerteza do talvez,
É a desilusão de um Quase!

É o Quase que me incomoda,
que me entristece,
que me mata
trazendo tudo o que poderia
ter sido e não foi

Quem quase ganhou
ainda joga!

Quem quase passou
Ainda estuda!

Quem quase amou
Não amou!

Basta pensar nas oportunidades
que escaparam pelos dedos,
nas ideias que nunca sairam do papel,
por essa maldita mania
de viver no Outono.

Pergunto-me, às vezes,
o que nos leva a escolher
uma vida morna.

A resposta eu sei de cor, está estampada
Na distância e na frieza dos sorrisos
Na frouxidão dos abraços,
Na indiferença de um bom dia quase que sussurrado

Sobra covardia e falta de coragem até para se ser feliz.
A paixão queima! O amor enlouquece! O desejo trai!

Talvez estes fossem
bons motivos para decidir
entre a alegria e a dor

Mas não são.

Se a vida estivésse mesmo
no meio-termo...

O mar não teria ondas!
Os dias seriam nublados!
O arco-íris em tons de cinza!

[Sarah Westphal]

27 comentários:

quicas disse...

Boa escolha, Jorge, para reflectir! E... ultrapassar o "quase"!
Abraço

direitinho disse...

Gostei destes pensamentos.
É sempre bom lê-los e repensar o nosso modo de viver.
Umas vezes falta-nos a coragem e outras deixamos no esquecimento.

Vitor Chuva disse...

Olá Jorge!
O "quase" que faz toda a diferença entre o "ser, e não ser", entre o "ter, e não ter", é um pouco como o "tanto valer perder por muitos, como perder por poucos"; no fundo, perdemos - e o resto passa a ser irrelevante.
O texto está recheado de verdades, aparentemente contaditórias com o bom senso, ou sabedoria popular:No meio nem sempre estará a virtude - ao contrário do que é voz corrente - mas, em vez disso, e muitas vezes, ... apenas o vazio.
Um abraço amigo!
Vitor

Regina Rozenbaum disse...

Eiii meu amigo! Saudades...e quando venho aqui "matar" um cadim delas, me deparo com poesia tão linda e pertinente!
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Aqui - Ali - Acolá disse...

Esta palavra QUASE, tem um grande sentido fixo na vida de cada pessoa.

Se por exemplo (falo por mim) pensar nas ocasiões do (quase) que tive em outros momentos de vida, actualmente ela seria diferente derivado ao (quase) ter ficado para trás porque findar o quase daria um rumo diferente a toda ela.

Quase muito esteve perante os meus olhos mas que não atingiu o fim.

Quase que sonhos pendentes se poderiam realizar mas por aí se ficaram.

Quase que um rumo diferente se poderia realizar mas, o (quase) não se consumou em final.

Um post de grande valor e de boa escolha que nos faz meditar muito do QUASE que ficou por acontecer.

Abraço

Multiolhares disse...

Assim é a vida para muitos cor de cinza
beijinhos

Jorge disse...

QUICAS,
O "quase", significa que não se concretizou e não se ultrapassou essa BARREIRA...Ultrapassêmo-la pois...
Um abraço amigo

Direitinho,
Concordo, que temos de repensar o nosso modo de viver.
Por vezes, falta-nos coragem e pensamos que, talvez, seja melhor seguir a nossa vida e deixar como tudo está.
Abraço

Viva Vitor!
A sua opinião, é também um ensinamento do qual devemos também tirar ilações.
O QUASE, não nos leva a lado nenhum, fica sim, o vazio de não termos tentado.
Um grande braço

Rê Amiga,
Ainda bem que gostou e, obrigado pelas palavras luminosas e amáveis que aqui deixou.
Bjis

Aqui Ali Acolá,
Grato pela sua presença e opiniões neste espaço.
A vida será tão diferente quantos mais QUASE ultrapasarmos e deles colhermos ensinamentos para melhor ultrapassarmos os Quase, no futuro.
Abraço amigo.

Olá Multiolhares,
Os seus "olhares" são sempre bem-vindos, iluminam e afastam todo e qualquer cinzentismo que possa imaginar.
Saudações luminosas.

Sofá Amarelo disse...

O meio - termo é o vai-não-vai, o hesitar, o quiçá, é a pausa, o intervalo... e a Vida só faz sentido quando é sim ou não! Em especial SIM! E nunca talvez!

Forte abraço!

Jorge disse...

Sofá Amarelo,
O meu agradecimento pela gentileza da sua inscrição como seguidor, que estimula o Azimute a fazer mais e melhor.
Hesitar, é o mesmo que andar e não chegar. O andar é tudo, princípio e fim.
Cordial abraço.

Graça Pereira disse...

Jorge
Magnifico poema... Na realidade, o quase é nada! Prefiro um Não consciente e verdadeiro para não ficar toda a vida em...banho-maria!!
O quase e o talvez empatam decisões e não resolvem nada...
Tens razão: " maldita mania de viver no Outono" se pode ser Primavera sempre que nós decidirmos...
Tenhamos coragem de dar o primeiro passo... e o resto do caminho,talvez possamos apanhar todas as flores do mundo!
Beijo amigo
Graça

Jacinta Dantas disse...

Ilá Jorge,
adentrando sua casa, pela primeira vez, deparo-me com versos tristes, bonitos e porque não dizer, reflexivo de Sarah Westphal. E refletindo sobre suas palavras, penso que o "Quase" é também nossas tentativas e erros e que o Outono: Ah o outono! é nosso maior aliado no processo de transição.
Muito bom refletir por aqui.

Vieira Calado disse...

Um poema quase...

Vamos ao resto!

Um abraço

Jorge disse...

GRAÇA AMIGA,
Tudo tem a sua beleza, até o "Outono da vida", mas a
Primavera, irradiante de luz e cor, transmite-nos energias positivas, incentivo decisivo, na caminhada para consecução dos nossos objectivos.
Bj

Jacinta,
Agradável surpresa! A vida é a arte do encontro.
Obrigado pela sua amável opinião.
A porta do Azimute está sempre aberta.
Saudações luminosas.
Jorge


Vieira Calado,
Seja bem-vindo!
Vamos pois ao resto e..."pra frente é que é o caminho". Conte com a minha companhia.
Um abraço, reiterando as boas-vindas.
Jorge

Regina Rozenbaum disse...

Jorge, amado!
Brigou comigo??? Mas eu naummmmm rsrs Voltei para dizer que logo, logo, tem um mimo procê lá no Divã. Fique à vontade prá recebê-lo ou não, pois não sei qual é sua política a respeito rsrsrs
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Uma Brasileira disse...

Jorge...


Como foi bom conhecer vc(seu blog, claro)!
Como gostei deste seu post.


Me fez lembrar um discurso político do meu amado Presidente da República: LULA.


Me parece que foi no ano de 1993 que ele pediu votos ao povo brasileiro dizendo que chega de "quase".


Por pouco, ele perdeu as eleições àquela época, em 89.


Foi um lindo discurso, onde ele repetia o "quase" várias vezes. Não me esqueço disso.

Nos enchemos do "quase" e agora o queremos para sempre. O impossível: lógico e infelizmente.

Já que cheguei até aqui, quero desejar um feliz Dia das Mães. Li em um blog daí de Portugal que esse é o dia.

Aqui no Brasil, é no segundo domingo de Maio.


Um abraço do tamanho do oceano que nos separa.
Espero chegar aqui mais vezes.

Kimbanda disse...

Olá estimado Jorge:
Há poemas que nos servem como luvas.
Outros quase que acertam, mas nos revemos também.
O meio termo por vezes é uma angustia tamanha, antes um não que nos derrota e entristece, mas nos possibilita, um recomeço que pode tardar, mas acontece.
Sinceros e amigos kandandos.

Maria disse...

Amigo, como o seu blog para mim é local especial, deixei um presentinho para si, lá no meu cantinho. Espero que goste.

Bjs do tamanho do infinito
Maria

Florentino disse...

olá amigo muito obrigado pela visita valeu .,-

Jorge disse...

Uma Brasileira,
Grato pela sua visita. Ainda bem que gostou.
Brasileiras também, nascidas no Pará, foram as minhas Avó e Bisavó maternas.
Volte sempre que puder.
Um abraço, através do oceano que nos une.

Prezado Amigo Kimbanda,
Grande prazer em tê-lo aqui.
A vida nem sempre são são flores.
Há coisas que são mesmo assim, não adianta ser racional.
Devemos ser solidários quando os outros pedem e mesmo quando não pedem.
Um forte abraço.

Jorge disse...

FLORENTINO,
É sempre um prazer ter-te por aqui.
Procurarei corresponder.
Um kandando amigo, como diria o nosso amigo Kimbanda.

Jorge disse...

Rê e Maria, Amigas Imprescindíveis,
Seria estultícia minha dizer que não fiquei feliz pela vossa distinçâo, creio que é imerecida.
Sou um velho [embora não me sinta velho] principiante e ainda tenho muito a aprender.
Acreditem que, o maior de todos os mimos, é esta partilha que temos tido e continuaremos a ter.
Um bem haja para ambas.
Bjis
Jorge

Uma Brasileira disse...

Jorge...


Algo de estranho acontece com o globo do blog.


Observando-o, vi que aparecia a cidade de quem o visitava naquele momento.

O problema é que apareceu Pindamonhangaba/São Paulo e eu sou de Franca/São Paulo.

Gostaria de ver minha cidade que é muito bonita também. Temos 350 000 habitantes.

Beijinhos.

Jorge disse...

Brasileira,
Recebi 2 comentários seus. Textualmente iguais. Publiquei um.
Tenho muita consideração por Pindamonhangaba/S.Paulo, mas não posso fazer algo. Ultrapassa-me...
Bjis

Florentino disse...

muito mas muito obrigado pela força

Jorge disse...

FLORENTINO,
A força é partilhada, ficamos ambos mais fortes.
Um abraço.
Jorge

PASSAGEIRA disse...

Essencial e sublime o seu "quase" ...feito de possibilidades e permissões sentidas.
Parabéns pela magnífica apresentação.
Amei!!!
Meu carinho...

Jorge disse...

PASSAGEIRA,
A vida não é mais que uma viagem de combóio. Esta "passageira" é uma gradável surpresa, numa viagem de partilha e desafios, em que cada um procurará dar o melhor de si. Valeu!?
Saudações luminosas,
J