Porto de Sines

Porto de Sines

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

"EM MEMÓRIA DE 17 PESCADORES"

O acaso levou-me até à Lagoa de Santo André. Deparei surpreso com um penhasco ereto, isolado na areia da praia, próximo da lagoa. Na perspectiva dum olhar inusitado, avancei.




Deparei  com um singelo monumento homenageando a memória de 17 infortunados pescadores que perderam a vida em 09.01.1963, quando  na lagoa labutavam na faina da pesca.


Uma tragédia evocada 50 anos depois e que deixou marcas para todo o sempre.




O desatino
De uma onda gigante
Traçou-lhes o destino
Naquele mesmo instante.

 cajoco

Fotos:cajoco

18 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Parece-me que em todas as praias poderia existir estes monumentos.
Do Norte ao Sul todos os anos existem embarcações naufragadas. Uns salvam.se e outros não.

Com o Mar não se brinca.

Andradarte disse...

É bom que quem deve....os relembrem
O trabalho deles é árduo.
Belas as fotos
Abraço

Jorge disse...

Luis,
O Mar é algo que apaixona e ao mesmo tempo impôe respeito. É um mistério contínuo.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Jorge!

É bem verdade:o mar que num dia dá o pão é o mesmo que noutro pode tirar vida.
A homenagem é mais do que merecida, tal como muitas outras que ficaram por fazer...neste país que nunca se preocupou muito com eles,porque são simplesmente pescadores...
Bonitas fotos!

Bom fim de semana; um abraço.
Vitor

Rosa dos Ventos disse...

É o que diz o Luís...
Não há praia onde não possa figurar uma pedra assim...
Somos um povo que morre à beira-mar! :(

Abraço

luna luna disse...

O mar é lindo mas pode ser cruel ceifar vidas que só procuram matar a fome.
beijinhos

Jorge disse...

Andradarte,
0s pescadores são pessoas moldadas na dureza da vida, nunca é demais relembrá-los.

Jorge disse...

Vitor,
Os pescadores sabem que é necessário voltar ao mar [por vezes revolto e perigoso] e lá irem buscar o seu [e o nosso] sustento, nunca desistem.

Joaquim Candeias disse...

Bonitas fotos a um monumento singelo mas de valor sentimental para os familiares daqueles que buscavam o pão. Assim ficam lembrados os seus nomes.
Obrigado pela visita e comentário na minha pagina.

Abraço.

helen disse...

Wonderful pictures. Thank you for visiting my blog and leaving a kind comment.

Jorge disse...

Joaquim Candeias,
É bom que essas memórias resistam, contribuindo como lenitivo para o saudoso sofrimento dos familiares, amigos e conhecidos.

Jorge disse...

helen,
Exulto pelo elogio. Obrigado!

© Piedade Araújo Sol disse...

o mar é traiçoeiro.
ainda bem que se recordam destes pescadores.
um poste muito oportuno.
um beijo

:)

© Piedade Araújo Sol disse...

Em Tempo.
gostei muito das fotos!
:)

Jorge disse...

Piedade,
Grato pela simpatia expressa nos seus comentários.

lis disse...

Como voce disse Jorge o mar impõe respeito e as fatalidades são muitas haja visto essa que descreves_ ondas gigantes que parecem distantes de nós acontecem também.
Uma homenagem digna que registrastes muito bem,
um abraço

Espaço do João disse...

Verdade verdadinha. Ainda conheço familiares das vítimas. O mar traz, o mar leva. Labutar com sofrimento e resultar na morte.

Jorge disse...

Amigo João,
A morte é amarga para aqueles que morrem, quando voltam ao mar buscar o seu sustento.
O monumento é uma justa homenagem, perpetuando a sua memória.