Porto de Sines

Porto de Sines

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Júlio Cardoso Actor e Encenador

Conheci Júlio Cardoso nos anos 50.

Formávamos então uma tertúlia de amigos que costumavam encontrar-se junto a um pequeno quiosque ao cimo da rua da Torrinha, próximo da rua de Cedofeita, na cidade do Porto. Dela faziam parte o Julinho (da Regisconta), o meu irmão Zito, o Lamartine, o Jorge (de Cedofeita), o Jorge (o engenheiro), eu Jorge (o doutor), o Luisinho, o Arturinho e outros.

Encontrávamo-nos também no Café Ceuta e no Porto Bilharista, onde conversávamos e disputávamos intermináveis partidas de bilhar livre, snooker e zanzi golf. Por vezes também jogávamos e disputávamos torneios de ping pong na sede da JUC. Outrossim fazíamos incursões pela noite portuense.

Nessa altura, não obstante a boa disposição e companheirismo, não se perspectivava ao "nosso" Julinho a sua brilhante carreira de 50 anos dedicados ao Teatro, com incursões frequentes pelo cinema e televisão, que culmina com a estreia no Teatro de Campo Alegre, no Porto, "Eu sou a minha própria mulher", monólogo em que interpreta 30 personagens.

Embora tenha acompanhado a sua brilhante carreira um pouco à distância, não quero deixar de lhe dar os parabéns, desejando-lhe um próspero 2010 com muita saúde e felicidade.

2 comentários:

puga assis disse...

Bonita homenagem ao nosso comum amigo. Já falei com o Jorge Rui para lhe prestarmos uma homenagem, no Porto, lá para o fim de Janeiro. É que o Arturismo foi passar o inverno à Madeira e não deve vir antes. O Jorge procura, entretanto descobrir o Luizinho, com paradeiro incerto. Contamos contigo.
Também para ti e todos os teus um excelente 2010. Grande Abraço.

jorge disse...

Essa do "Arturismo" está boa! Para o rapaz não há crise. Ainda bem que assim é.
O Luisinho é tipo enguia. Aparece e desaparece.
A homenagem ao Julinho é boa ideia.
Outro abraço.