Porto de Sines

Porto de Sines

terça-feira, 29 de abril de 2014

Exposição "Viarco - Traços para o Futuro"


Esta Exposição, que está patente no Centro de Artes de Sines até 31 de Maio, transporta-nos a tempos de outrora em que pontuavam os lápis de côr [incluindo o azul da Censura] e os lápis de papel, com a borracha sempre à mão.


 Estes marcantes registos fotográficos, devolvem-me um mundo em que vivi.












Espero que gostem desta amostra e... venham ver a Exposição.


Fotoautor: cajoco

26 comentários:

Ana Tapadas disse...

Meu amigo, que exposição interessante! E que belas fotos. Recordo as caixas de lápis de cor...parece que ainda lhes sinto o cheiro!

Beijo

Jorge disse...

Ana,
Caixas de belos lápis de cor, [com 6,12,24, etc. lápis] de diversos tamanhos, autênticas obras d'arte de criatividade e inovação.
Grato pelo comentário que dá mais vivacidade ao post.

Janita disse...

Interessantíssima e invulgar essa exposição, Amigo Jorge!

Na penúltima foto, aquelas caixinhas coloridas de forma rectangular, são do meu tempo da escola primária.
Que maravilha podermos recordar essas preciosidades.
Os painéis descritivos da história da indústria Viarco, conseguem ler-se na perfeição graças à sua excelente objectiva.

Parabéns ao fotógrafo que não descura nenhum pormenor.:)

Um beijo com carinho e o meu agradecimento, meu Amigo, já que ir a Sines não me vai ser de todo possível.

Janita

Jorge disse...

Janita Amiga,
Um comentário assim, precioso e enaltecedor, acarreta ao mesmo tempo mais responsabilidade. Espero em posteriores "posts" não desmerecer os seus elogios.
Um abraço amigo e o meu bem haja.
Jorge

Suzete Brainer disse...

Olá Jorge,

Que belas fotos,a tua arte

fotográfica registrando a

arte...

Que belo olhar e partilha!!

Abraço de paz.

Aqui - Ali - Acolá disse...

Viarco, faz-me retornar aos belos tempos de escola onde ter uma caixa destes lápis era quase como um luxo assim como ter uma esferográfica Bic que também faz parte de um tempo rígido de escola mais a dita pedra com caixilhos de madeira e o respectivo lápis de pedra que era afiado nas pedras da escola.
Um bom post que nos trás belas recordações daquilo que era uma escola onde o ensino marcou uma parte de vida muito difícil.
As cores são um encanto que jamais se podem apagar da memória de quem as adora.
Belas fotos neste Blog com um belo realce nas suas imagens.
Abraço tudo de bom para si.

Majo disse...

~
~ Têm sido muito interessantes estas exposições organizadas pela Viarco, cujos lápis coloriram o pequeno mundo da nossa infância, que era, infelizmente, muito marcado a preto e branco.

~ Uma lição de empreendedorismo, um meio de iniciação à expressão plástica e, agora, ao serviço da cultura.

~ Lamento não poder aceitar o seu convite, mas de momento, não posso deslocar-me da minha cidade.

~ ~ Um mês de Maio muito alegre e feliz. ~ ~

~ ~ ~ ~ Abraço amigo. ~ ~ ~ ~

Antonio Barreira disse...

Jorge
Mais uma vez, a sua imaginação vem
recordar tempos que já não voltam mais.
No nosso tempo de escola,o lápis quase que era símbolo do "estado" em que os nossos pais viviam, as possibilidades ou não de acompanhar o progresso.Era o nosso bilhete de identidade da altura.
Um abraço Toneca

Pérola disse...

Um convite irresistivel.

Beijo

Jorge disse...

Suzete Brainer,
A arte é sempre uma busca, uma interrogação, que a sua opinião valorizou. Obrigado!!

Jorge disse...

Aqui-Ali-Acolá,
Eu ainda sou de tempos mais recuados; dos tinteiros de tinta na carteira para molhar o aparo. Também da lousa e do lápis de pedra. Do apara lápis com que se aparavam os lápis com muito cuidado para a minas não partirem. Enfim, um mundo de recordações que felizmente perduram.
Grato pelo elogio e simpática saudação.

Jorge disse...

Majo,
Confinado a este espaço, sem alternativa de partilha, agradeço a sua opinião.
A cultura e a história, associam-se naturalmente à fotografia. Neste caso as fotografias devolvem-nos um mundo em que participámos.
Um abraço,

Jorge disse...

Toneca,
Naqueles tempos difíceis do antigamente, em que as pessoas ficavam condicionadas pelo seu nascimento, havendo fortes desigualdades sociais. Era assim que se vivia.
Desejo-lhe um bom fim de semana.
Jorge

Jorge disse...

Pérola,
Bem-vinda ao Azimute.
A visita duma "Pérola/Seguidora", consagra este blog. Obrigado!!

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Jorge!

Se não estou confundido,o que penso não ser o caso...há já algum tempo atrás vi uma reportagem sobre a história destes lápis.Que despertou memórias agradáveis, tal como agora acontece.E num país em que tantas coisas de qualidade deixámos morrer, por desleixo, ou porque a tecnologia barata do fabrico em massa assim o ditou, é bom ver que estes bonitos lápis souberam resistir ao tempo, e que hoje não falta quem os saiba apreciar.

Lindo post!
Um abraço amigo e bom resto de Domingo.
Vitor

Jorge disse...

VITOR,
Trata-se de uma retrospectiva de valores criativos e culturais que, como o amigo muito bem diz, resistiram ao tempo.
Retribuo com prazer a sua saudação amiga.
Jorge

lis disse...

Oi Jorge
Quem me dera pudesse ir mesmo, achei super interessante.
Abraço-te, agradeço a partilha e os comentários e atenção que me dispensas.

Majo disse...

~
~ Hoje, o 1º Domingo de Maio, é para nós um dia de muitas saudades e também, de celebração.

~ Desejo-lhe um sereno e doce Dia da Mãe.

ps ~ Lamento não lhe ter enviado o correio que enviei aos outros amigos, mas não encontrei um endereço.

Jorge disse...

Lis,
Generosidade, gera generosidade. Falta-me trabalhar a minha.

Jorge disse...

Majo,
Celebrar o 1º de Maio é dignificar o trabalho e os trabalhadores.
O meu Dia da Mãe foi, felizmente, sereno. Falei, pelo telefone, com a minha Mãe, que fez, em 16 de Março, 1OO aninhos ainda muito lúcidos.
Cordiais saudações.
J

Sónia M. disse...

Agradeço esta partilha, Jorge. Na impossibilidade de visitar a exposição, gostei muito de entrar aqui hoje. Excelentes fotos.

Abraço.

Jorge disse...

Sónia M.
A sua presença e opinião prestigiam sempre este espaço. Obrigado!

Majo disse...

~
~ Parabéns, Jorge, pelo centenário da sua mãe!

~ Um mês de Maio muito feliz.

Jorge disse...

Majo,
Obrigado!!
Tudo de bom para si.

luisa disse...

Parece muito interessante e eu adoro as antigas caixinhas de lápis. :)

Jorge disse...

Luisa,
As memórias da infância são as mais vivas e felizes. ( )